Socos e chutes para liberar o estresse

Nos últimos anos tem crescido consideravelmente o número de pessoas em busca de lutas para liberar o estresse do dia-a-dia, e consequentemente o número de academias especializadas.
Seja para entrar em forma, aprender técnicas de defesa pessoal, ou até mesmo para competir, a verdade é que mais e mais adeptos buscam novidades e profissionais qualificados para prestar serviço. E não pára por aí. O setor que era praticamente masculino, está sendo invadido por mulheres que descobriram nas lutas, uma maneira eficiente de modelar o corpo.

Todas estas práticas garantem aos atletas diversos benefícios”, Fabiano Montagnoli

De acordo com o personal trainer Fabiano Montagnoli, da Academia Arena, especializada em lutas, embora a competição seja um desejo dos atletas, a maioria procura lutas para melhorar o condicionamento físico e desenvolver técnicas de defesa pessoal. Entre as mais procuradas estão o kickboxer, karatê, MMA, jiu-jitsu e capoeira.
“Todas estas práticas garantem aos atletas diversos benefícios. Além de aumentar a autoconfiança dos praticantes, elas tonificam os músculos, diminuem a porcentagem de gordura, dão mais flexibilidade, combatem o estresse, relaxam e aumentam o condicionamento físico”, explica.

IMG_1408-Edit-Edit
E embora no imaginário popular, as lutas sejam vistas como sinônimo de violência, esse tipo de esporte trabalha justamente o combate à violência. A intenção, na maioria dos casos, é fazer com que o praticante crie uma disciplina, respeite às hierarquias e também se sociabilize.
Montagnoli afirma que, para praticar qualquer uma das lutas a pessoa deve, acima de tudo ser dedicada e levar os treinos à sério. “Todo o treinamento depende não apenas de força física, mas concentração e dedicação”, destaca.
Sobre as mulheres neste contexto, Montagnoli afirma que na maioria dos casos elas procuram lutas na intenção de conquistar mais facilmente um corpo definido. “Elas buscam kickboxer, MMA, karatê, Jiu-jitsu e capoeira para queimar gordura e modelar o corpo. E o resultado é mais rápido e satisfatório do que com aulas de ginástica”, diz.

 

POR NATÁLIA BACHI < · > FOTOGRAFIA MAILA ALVES

VOX
VOX

Ainda não há comentários

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

vox@gimpacto.com.br - 18 3522 1199 - Rua Euclides da Cunha, 4 - Centro, Adamantina - SP – CEP 17800-000