Uma trajetória dedicada ao ensino

19 de junho de 2.017. A data que Adamantina começou a ouvir falar de Paulo Sérgio da Silva. Até então desconhecido pela maioria da população, o nome do professor universitário ganhou destaque ao se inscrever para concorrer ao comando da principal instituição de ensino da Nova Alta Paulista. 11 dias depois, ele era escolhido o primeiro reitor da UniFAI (Centro Universitário de Adamantina), se tornando um dos principais nomes da cidade.

Apesar de pouco conhecido, Paulo Sérgio tem uma trajetória de vida dedicada à educação. Da infância até a reitoria da autarquia municipal, o professor de 43 anos tem uma relação constante com o ensino, construído em escolas públicas de Adamantina – Teruyo Kikuta e Helen Keller – e em instituições renomadas no país, como a USP (Universidade de São Paulo) e UFSCar (Universidade Federal de São Carlos).

Terceiro filho de José Aparecido da Silva, ex-funcionário da Fepasa (Ferrovia Paulista S.A.) e construtor civil, e de Alzira Gilbertoni, o adamantinense cresceu nas vilas Endo e Jardim. E, mesmo sendo de uma família humilde, teve a oportunidade de se dedicar aos estudos desde cedo. “Meu avô, pai e mãe influenciaram bastante, porque sempre me auxiliaram a estudar, permitindo realizar meus estudos na parte da manhã. Isso eu devo enormemente a eles, que, mesmo pobres, priorizaram minha formação”, relembra.

“Meu avô, pai e mãe influenciaram bastante, porque sempre me auxiliaram a estudar, permitindo realizar meus estudos na parte da manhã. Isso eu devo enormemente a eles, que, mesmo pobres, priorizaram minha formação”, relembra.

Neste tempo, Paulo Sérgio se dedicava aos estudos objetivando ingressar em uma universidade pública por meio do vestibular da Fuvest – um dos mais concorridos do país. Em sua terceira tentativa, foi aprovado para estudar Ciências Sociais na UFSCar. Quatro anos depois, em 1.997, concluía uma das inúmeras etapas de estudos, que ainda viriam.
Paulo fez mestrado também em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (2.000), especialização em Metodologia Quantitativa pela Universidade Federal de Minas Gerais (2.003) e doutorado em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (2.005).

Devido aos estudos, morou fora de Adamantina de 1.994 a 2.005, período em que conheceu Amanda Camilo, com quem se casou em 2.000. “Pessoa muito simples, amorosa e muito dedicada às causas sociais, área em que desenvolve trabalhos voluntários no programa de exercícios físicos da terceira idade da Prefeitura e junto ao Fundo Social de Solidariedade de Adamantina. Sempre apoiou totalmente minha carreira, eu admiro o amor que ela põe nas coisas que faz, sou fã dela”, revela.

De professor a reitor
No ano de 2.007, época em que o diretor era o professor Gilson João Parisoto, Paulo Sérgio passou em concurso público para lecionar nos cursos de Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Logo depois, ele já estava dando aulas no Direito, Administração e cursos de pós-graduação.

“No final deste mesmo ano, colaborei com o professor Márcio Cardim, que na época era coordenador do Núcleo de Prática de Pesquisa, no I Congresso de Iniciação Científica das Faculdades Adamantinenses Integradas. Ainda na administração de Roldão Simione, contribui com o vestibular e a criação do slogan “FAI, fique perto para ir mais longe” com os professores Sérgio Barbosa e Igor Pedrini. Fui coordenador do Núcleo de Prática de Pesquisa, representante dos docentes doutores da UniFAI entre 2.008 a 2.016, editor da Revista Omnia de Humanas entre 2.008 a 2.013 e coordenador dos cursos de Administração e Ciências Econômicas”, relembra.

Em 1º de julho de 2.017, Paulo Sérgio assumiu o cargo de reitor, sendo o primeiro na função após a transformação da faculdade em centro universitário.
“Aprendi que a gente não deve ficar planejando “quero ser isso, quero ser aquilo” com muita antecedência em relação a cargos, acredito que as oportunidades aparecem resultantes do fruto do trabalho realizado na prática. Sempre procurei trabalhar seriamente na Instituição”, responde à VOX, após ser questionado se acreditava que um dia poderia se tornar reitor de uma instituição do porte da UniFAI.

Principais desafios
Com pretensão de alcançar o sucesso do seu plano de gestão ao final dos quatros anos de mandato, Paulo Sergio é categórico: “o desafio é dar continuidade e ampliar o progresso que a UniFAI conquistou, mediante a proposta do quadrilátero gestão, ensino, pesquisa e extensão, que permitirá a efetiva implantação, consolidação e projeção do Centro Universitário de Adamantina, tornando-o em um Centro de Referência Tecnológico e de Saúde, para num futuro a nossa Instituição se transformar em Universidade. Agindo de modo eficiente, com um planejamento adequado, nossas ações terão sucesso para atingir a meta desejada em quatro anos. Nesse sentido, as ações já começaram. Eu e minha equipe sempre colocaremos os interesses da UniFAI em primeiro lugar, acima dos interesses pessoais”, afirma.

Há seis meses a frente da Instituição, ele enfatiza a confiança que vem conquistando dos professores, funcionários, da sociedade e das lideranças em geral. “Gosto daquele ditado que diz: aquele que se empenha em resolver as dificuldades, resolve-as antes que elas surjam. É claro que existe uma diferença entre conhecer o caminho e trilhar o caminho. Porém, precisamos treinar nossas mentes para pensar positivo e acima de tudo, trabalhar constantemente, se objetiva algo, corra atrás dele e supere as dificuldades”, diz.

“A luta incessante para o desenvolvimento do ensino, pesquisa e extensão em meu mandato será a meta. As oportunidades para a UniFAI crescerão ainda mais, a partir do momento em que vislumbrarmos horizontes instransponíveis.

Entre as metas que Paulo Sérgio pretende correr atrás estão o reconhecimento e aprovação do curso de Medicina em 2.018, a abertura de novas graduações, como Arquitetura e Urbanismo e Biomedicina, e a internacionalização do Centro Universitário. “A luta incessante para o desenvolvimento do ensino, pesquisa e extensão em meu mandato será a meta. As oportunidades para a UniFAI crescerão ainda mais, a partir do momento em que vislumbrarmos horizontes instransponíveis. As oportunidades multiplicam-se quando são agarradas. Sempre gosto de ouvir sugestões, de modo democrático. O futuro que almejo para UniFAI é que ela cresça ainda mais”.

Amor e fé
Já em resposta sobre o que espera para sua vida pessoal, ele destaca sua fé: “Deus nos dando saúde, família e amigos é o que importa, eu almejo o que Deus planeja para minha vida”. Completou: “apesar de ser mais cômodo achar que as coisas acontecem por acaso, prefiro acreditar que as coisas acontecem porque um Ser superior, Deus, planejou. As pessoas, os lugares, as nossas oportunidades, nossa vida só existem porque uma força programou. Por isso sou fiel a Deus e coloco os princípios, a família, a amizade e o amor acima de tudo. Temos que sempre fazer o bem ao próximo e acreditar nos nossos sonhos”.

Outra paixão do reitor é o futebol, hobby que se dedica nos tempos livres. “Nos momentos que não estou trabalhando, a simplicidade, as coisas mais simples do mundo, como ficar com meus dois cachorros, fazer um almoço, sair com amigos e familiares e assistir jogos de futebol me dão muito prazer”, diz Paulo, que enfatiza seu amor ao trabalho: “como dizia Steve Jobs [fundador da Apple], “a única maneira de fazer um grande trabalho é amar o que faz”. Eu amo o que faço!”, finaliza Paulo Sérgio.

VOX
VOX

1 Comentário
  1. Excelente pessoa, profissional e Gestor, com maiúscula.cumpre o que promete. Difícil é implantar um sistema justo de distribuição de aulas. “Calcanhar de aquiles” da UniFAI. Se ele e o Vice reitor: Prof. Dr. Fábio Botteon não conseguirem, ninguém consegue, infelizmente. Não poderiam existir dois nomes mais capacitados para essa fase de Gerenciamento da UniFAI. Seria desejável um plano de saúde para todos os colaboradores. Parabéns para TODOS!!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

vox@gimpacto.com.br - 18 3522 1199 - Rua Euclides da Cunha, 4 - Centro, Adamantina - SP – CEP 17800-000