A desconhecida e exótica Bolívia

Pouco explorada pelos viajantes brasileiros nosso vizinho reserva cultura, história, paisagens naturais únicas e pode despertar o espírito mochileiro em você

 

Lago Titicaca

Quando se pensa na Bolívia muita gente já torce o nariz. Caos, confusão, pobreza, uma série de ideias negativas já veem a cabeça. Nosso vizinho andino é lembrado pelas cidades de fronteira com o Brasil, mas para conhecer de fato esse belíssimo país é necessário ir mais a fundo em seu território e começar a viagem por La Paz. Para chegar até lá e conhecer a capital mais alta do mundo, com seus 3.640m acima do nível do mar, existem várias opções: voos diretos, escala em Santa Cruz de la Sierra ou começando a viagem em Corumbá/MS, atravessando a fronteira até Puerto Quijarro, e entrando no país pelo famoso “Trem da Morte”.

Chegando a La Paz há duas opções para o viajante: ir ao Norte em direção ao Lago Titicaca e entrar no Peru ou pegar o caminho para o Sul, conhecer o famoso Salar de Uyuni, e entrar no Chile. Contudo é importante passar alguns dias na capital boliviana e conhecer sua história e se aclimatar a altitude. O custo de vida na Bolívia é bem baixo e você se hospedar pagando 20 reais por uma acomodação simples ou 80 reais num quarto duplo e dormir numa mansão que já foi residência de um antigo presidente boliviano no início do século XX.

Ruínas da civilização pré-inca conhecida como Tiwanaku

No centro da cidade há catedrais centenárias, museus, subidas que colocarão a prova sua preparação física, o exotismo da Calle de las Brujas com suas comidas e até fetos de lhamas para ‘encantamentos’. É também de La Paz que saem três passeios imperdíveis: A subida do Chacaltaya, com seus 5.421 m; o circuito de bike pela Death Road (estrada da morte) e as ruínas da civilização pré-inca conhecida como Tiwanaku.

Partindo ao sul de ônibus, de preferência a noite para economizar em hospedagem, não deixe de parar em Potosí, cidade lendária que já possuiu a maior mina de prata do mundo. Pode-se hospedar num antigo mosteiro jesuíta convertido em Hostel por 85 reais com banheiro privado. Se tiver coragem faça um tour pela mina de Cerro Rico e veja as condições de trabalho que ainda se mantem nessas minas centenárias. A partir daí é só descer mais um pouco em direção a Uyuni e fazer o passeio de 3 dias pelo maior deserto de sal do mundo.

Comprar nas agências o tour completo, que te garante o carro com o guia, duas noites nos hotéis (incluindo um feito todo de sal) e todas as refeições sai 350,00 reais. Esse valor pode sair ainda mais em conta pois tudo na Bolívia é negociável, inclusive os táxis e as lojas. Na Bolívia os descontos são certos, por isso compre diretamente quando chegar às cidades, incluindo a hospedagem. Os três dias pelo Salar te transportam para outro mundo. Linhas de trens abandonadas, lhamas, lagunas com flamingos, vulcões ativos, geisers, águas termais, neve e muito calor em questão de horas.

Geisers

Sobre a segurança na Bolívia não se preocupe, as ruas são calmas, os comerciantes te abordam apenas para vender as coisas e não se tem sensação de perigo. Encontramos muitas pessoas viajando sozinhas e há um espírito de camaradagem entre os viajantes e mochileiros. Aproveite ao máximo também as experiências nos hostels, pois sempre há boas dicas com outros viajantes. A América do Sul é cheia de experiências únicas e a Bolívia e a porta de entrada para esse universo tão próximo e que muitas vezes não damos o devido valor.

 

Guia Rápido

Estrada da Morte
Em La Paz está a estrada mais perigosa do mundo com desfiladeiros de 4.700m. É possível contratar numa agência essa descida e fazê-la em segurança. Só precisa ter coragem.

Tiwanaku
A cultura Tiwanaku, que já virou documentário sobre alienígenas, pode ser visitada a partir de La Paz com vans saindo a todo momento. Quando você chega lá acaba pensando: “Como nunca ouvi falar sobre isso?”

Hospedagem
Há diversos Hostels em La Paz, mas os queridinhos dos mochileiros são o Loki e o Wild Rover. Pesquise bastante, pois há mais opções em conta e experiências mais autenticas como o Hostal República.

Salar de Uyuni o maior deserto de sal do mundo

Preste atenção:

Cholas
Andar pela Bolívia é ver e conhecer as Cholas, mulheres que mantem com orgulho sua cultura ancestral e é marca registrada do país. São um pouco fechadas, mas tente conversar com elas e entender melhor como pensam e vivem as pessoas do país.

 

Culinária

Cuy Achatado
Crie coragem de experimentar um belo prato de porquinho da índia bem frito com purê de batatas e milho.

Bruno P. Soares
Bruno P. Soares

Professor e Mochileiro

2 Comentários

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

vox@gimpacto.com.br - 18 3522 1199 - Rua Euclides da Cunha, 4 - Centro, Adamantina - SP – CEP 17800-000